Chupei o Taxista Hétero

Conto Erótico Gay – Chupei o Taxista Hétero

Isso aconteceu no final do ano passado. Normalmente eu pego um ônibus ao sair do trabalho e ir pra casa. Só que tava chovendo muito e eu tava sem guarda-chuva. Fiquei no ponto uns 40 minutos e nada do meu ônibus passar. Ai resolvi passar rapidinho num caixa eletrônico para sacar um dinheiro e pegar um taxi. Tava durão mas saquei 50 reais e resolvi esperar um táxi passar.

Demorou uns 2 minutos e passou um táxi. Balancei a mão e ele parou. Nossa, era um cara branco, de cavanhaque, braço forte! Tava usando uma camisa polo branca e uma calça tipo essas de academia, sabe? De tecido fino. Usava um relógio prata super grande e tinha um sorriso lindo. Perguntou pra onde eu ia, ai eu passei o endereço e disse que tinha só 55 reais e perguntei se dava. Ele falou que deveria dar sim, que a corrida deveria sair uns 45 reais. Enfim, taxista adora conversar e fomos conversando… Falou de futebol, religião, política e o assunto ia fluindo, mas eu não conseguia tirar os olhos da mala dele, até que ele reparou e ficou meu quieto.

Tentei disfarçar fingindo que não tava mais olhando, mas era mais forte  que eu! Até que resolvi falar de mulher e perguntei se a mulher dele não reclamava dele ser taxista e passar tanto tempo fora, pois a minha reclama se eu passo meia hora fora (tudo mentira pois não sou casado), mas falei isso pra ele se sentir mais confortável. Ele disse que a esposa dele pegava no pé, mas o bom de ser taxista era que ele podia dar umas escapadas e ela não ia notar. Ai falei que precisava de um trabalho assim, ele riu e começou a falar mais de mulher. Parou no sinal e mostrou umas fotos de uma gorda que ele comia. – eu que não sou bobo nem nada chamei ela de gostosa. O cara tava tão confortável com o papo disse que ela só não curtia “chupar e dar o cu”, caralho, naquela hora eu fiquei excitado. Modéstia a parte tenho um pau bem grosso e já não conseguia mais disfarçar. Acabei soltando “Pow, se a minha não me  chupar ou dar o cu eu pago é na cara dela”. Ele disse “Pois é, é muito bom, mas ela é safada. Comprou até lingerie vermelha pra usar pra mim”.  Voltei a elogiar a mulher e ele disse que era melhor mudar de assunto pois tava ficando de pica dura pensando na buceta dela!!!! Cara, tu faz ideia do que eu senti na hora???? Não consegui disfarçar e dei aquela manjada na cara dura. Ele deu aquela apertada na rola que tava apontando pro meu lado e eu salivei. O safado me disse “Olha só como eu fico só de pensar. Vou ter que passar na casa dela hoje, vou até ligar”. Eu não resisti e assim começou um dos diálogos mais excitantes da minha vida.

Eu – Pow, Tá animado isso ai heim.

Ele – Pow meu amigo, é só falar em buceta que eu fico assim.

Eu – Pode crer, aquele gostinho de buceta na boca me deixa louco.

Ele – Pow mano, pega um cartão ai no porta-luvas, tenho um amigo que conhece umas meninas ai, fala que eu indiquei. Faz camaradagem pra você, sacou?

Eu – Saquei (peguei um cartão “rosa” e disse:). Mas tô a fim mesmo é de outra coisa.

Ele – Pow, diz ai.

Eu – Posso pegar cara? (Enlouqueci na hora)

Ele – Tava desconfiado brother (ficou em silêncio e parou o carro). Pega ai rapidão.

Bom, peguei no pau dele e fiquei apertando. Ele deu partida no carro de novo e eu comecei a massagear a piroca dele. Era grossinha, deveria ter Tava quase perto de casa já. Ele  tava louco de tesão. Já que eu já tava com a mão na massa falei que nunca fiz aquilo antes mas que tava com vontade de dar uma mamada. Ele disse:

Ele – Pow mano, com o tesão que eu tô…

Ele entrou num beco, tirei o pau dele da calça e cai de boca. Era lindinho, tinha um cheiro atípico, de mijo, o que me deixou meio sem graça, mas não parei, deixei todo lambuzado até o gosto sumir com o cuspe. Ele ficava olhando pra ver se não passava ninguém e eu engolia a piroca dele. Nossa, fui muito gostosa. Ele disse que ia gozar mas que não podia sujar o carro, pediu pra eu engolir. Eu abri a boca bem e veio um jato gigantesco de leite, não engoli, cuspi fora, mas fiquei com muuuuuito tesão. Só de lembrar fico de pau duro.

Ele – Pow que loucura heim, velho.

Eu – Pow, pode crer.

Quando eu olhei pro taxímetro já tava em 55 reais, caralho! Ele deu partida no carro e em mais 5 minutos chegamos ao meu prédio. Deu ao todo 68 reais a corrida.

A gente fez o resto do trajeto falando de mulher como se nada tivesse acontecido, mas na hora que chegamos ao meu prédio eu falei que só tinha 55 reais e perguntei se ele não podia voltar outro dia e pagava o restante… O puto riu e disse – “Relaxa mano, o boquete pagou a diferença”. O puto falou isso rindo, kkkkk. Acabei pegando o cartão dele. Já peguei táxi com ele umas 5 vezes desde então, só na última vez não rolou nada porque ele tinha corrida marcada!

Bônus

DITADURA G – Chupando o Taxista Hétero, Conto Gay, Chupando no carro, Motorista Dotado, Gay, Amador, Relato Gay Chupa Taxista.