Padrasto x Enteado » Vídeos Gays
Menu

Videosgay - Sexo Gay - Garotos Brasil - Famosos Nus - Pornô Gay - Sexo Gay Amador

 






 DITADURA G - VÍDEOS DE SEXO GAY - PORNO GAY E FAMOSOS NUS

Vídeos Gays Grátis - DITADURAG | Atualizado diariamente com os Melhores Vídeos G do Brasil



Padrasto x Enteado

Dei o cu pro meu padrasto


Queria compartilhar com vocês essa situação que aconteceu comigo: Meu pai faleceu quando eu tinha 3 anos, e 4 anos depois minha mãe se casou com um homem que vou chamar de Evaldo. Evaldo na época era bem bonito, um moreno grande, não malhado, mas sabe aqueles morenos cafuçus que fazem trabalho braçal e ficam fortinhos? Era ele. Ele era muito trabalhador e gente boa, mas quando bebia ficava insuportável. Por várias vezes o vi agredindo minha mãe e vivia com ele uma relação de amor e ódio por causa disso. Em diversas ocasiões, ainda na minha infância o vi nu, saindo do banho ou deitado na cama. Vê-lo nu me instigava, mas eu não fantasiava com ele, mesmo me entendendo como gay desde muito cedo.

 

Me lembro de uma vez estarmos brincando de briguinha e ele me segurou por trás, depois de um tempo percebi que ele ficou excitado. Eu fiquei muito nervoso na hora, mas aquilo foi algo natural. Eu nunca o questionei sobre, mas por alguns minutos eu senti que ele roçou em mim, embora não demonstrasse prazer algum.

 

A nossa relação era com altos e baixos, até em decorrência da relação de amor e ódio que ele passou a viver com minha mãe. Eles tiveram um filho juntos e aos poucos eu fui me distanciando dele naturalmente, até que por volta dos meus 14 anos, já entendido, eu já sabia que eu era gay, já me masturbava, já fazia umas brincadeiras e pegações por aí, o vi tomando banho por uma brecha na parede. Por anos o desejo por ele havia sido adormecido mas a partir daquele momento, eu passei a sentir algo. Ele estava meia bomba no banheiro e eu (que embora já tivesse chupado e quase chego nos finalmentes com outros caras) ainda era virgem e desesperado pra perder o cabaço.

 

Minha mãe chegava do trabalho tarde, meu irmão era pequeno e ele sempre tomava banho na mesma hora (por volta das 17:30). Eu corria pra casa alucinado diariamente para vê-lo tomando banho. Lembro-me de ter ganho de um tio do meu irmão, algumas revistas pornográficas, que ficavam entulhadas no meu guarda-roupas. Nuna ocasião vi o Evaldo com uma na mão e se masturbando, mas pouco eu conseguia enxergar de seu pau duro. Não precisa nem dizer que eu me masturbava horrores pensando nele depois!

 

Mas vamos aos finalmentes… Sobre a nossa primeira vez! Ele tinha uma conta numa locadora e sempre alugava filmes pornôs, mas via no quarto, provavelmente com minha mãe. Até que chego em casa e ele estava assistindo na sala sozinho (isso porque a tv do quarto tava ruim). Eu fiquei na sala vendo com ele e vira e mexe via que ele tava excitado. Não sei se eu ou ele quem falou algo primeiro, mas começamos a conversar – ele perguntou se eu era virgem, se tinha namorada, se tocava punheta e etc. Meio que querendo me ensinar as coisas! Eu me fingia de bobo e perguntava mais e mais (mas não dava a entender que eu era gay). Perguntei tudo que eu praticamente já sabia, até sobre o que era o líquido branco que saia do pau (gozo rsrs), mal sabendo ele que eu já tinha bebido o leitinho de vários, hehe. Eu perguntei pra ele como se depilar ou aparar o pau, pois o meu era bem peludinho e eu achava feio, ele foi no quarto e pegou uma máquina de cortar cabelo e veio me mostrar. A gente foi no banheiro juntos pra que ele me ensinasse como me depilar – ele tirou a bermuda e baixou a cueca um pouco, de um modo que eu via aquele pau enorme e grossinho pro lado. Ele estava meia bomba, provavelmente porque tinha acabado de assistir o filme.

 

Ele pediu pra eu ligar a máquina e pra que passasse nele, sim, eu estava depilando meu padrasto. Passei a máquina sobre os pelos da sua virilha e sobre os pelos que ficam entre o umbigo e o pau – aos poucos fui sentindo que ele estava ficando excitado e o volume ia me deixando impressionado! Eu aos poucos ia encostando a mão no pau dele embaixo da cueca e percebia que ele gostava. Eu o depilei e fiquei só nisso, depois ele pediu pra que eu me depilasse e limpasse os pelos que haviam ficado no banheiro. Eu lembro de que quando ele saiu do banheiro, eu peguei alguns pelos dele e cheirei de tesão. Me depilei e alguns minutos depois ele entra no banheiro com um creme que ele costumava passar depois de aparar os pelos. Eu estava no Box do banheiro e estava me masturbando pensando nele. Quando ele entrou, eu fiquei de costas com vergonha e ele pôde observar minha bunda. Ele falou pra que eu terminasse rápido o banho pois ele queria tomar banho também… Eu então disse que ia demorar pois gostava de demorar no banho e ele disse que ia entrar no banho comigo. Ele foi no quarto dele e pegou uma bermuda e uma cueca e entrou no banheiro de novo.
Eu não conseguia segurar a excitação, mas estava muito nervoso, quase que trémulo. Ele entrou no banheiro e tirou a roupa na minha frente! Nossa, por mais que eu já tivesse feito algumas coisas, o pau dele foi o mais bonito que eu tinha visto até então! Eu fiquei hipnotizado, mas tentava não olhar muito! Aos poucos a excitação foi se transformando em ainda mais nervosismo e eu perdi a ereção (eu fiquei de costas pra ele antes dele entrar no chuveiro). Quando ele entrou no chuveiro, ele pediu pra eu passar pra ele o sabonete líquido, eu o passei e me virei pra ele, nunca dei uma manjada de rola tão grotesca na minha vida. Praticamente fiquei parado olhando pro pau dele. Até que começo a passar a esponja nas minhas costas e a esponja cai, pego a esponja de quatro pra ele e ele pega a esponja da minha mão e resolve passar nas minhas costas. Ele ficou bem perto de mim e alguns segundos depois fui sentindo seu pau crescer, engrossar e tocar no meu cuzinho. Eu estava muito excitado e louco com aquilo. Aos poucos fui mostrando que eu estava a fim e encostando minha bundinha no pau dele. ele continuava lavando minhas costas e pulsando com a piroca na minha bunda. Meu cuzinho era super apertado e por mais que ele pulsasse o pau dele no meu cu, obviamente não iria entrar. Até que eu coloco as duas mãos na parede do box e empino o rabo. Sinto que ele forçou a entrada do pau no meu cu. Senti uma dor descomunal na hora, pois eu ainda era virgem. Eu estava sentindo dor com a brincadeira mas não queria parar, não sabia quando teria uma outra oportunidade como aquela! Me virei pra ele e peguei no seu pau, e que pau lindo ele tinha! Me ajoelhei e fiz o que eu sei fazer de melhor, chupei o pau dele – nem sei se nenhuma outra mulher havia feito aquilo nele antes pra ser bem honesto, mas ele ficou surpreso. Tenho uma boca grande, gostosa e macia e conseguia chupar muito gostoso o seu pauzão!.

Ele estava muito excitado, o pau dele pulsava na minha boca e uns 2 minutos depois do início do boquete, senti aquele gosto azedo de porra. O jato foi tão forte que encheu minha boca de leite e me forçou a engolir um pouco de tão repentino que foi. Eu como putinho que sou, cuspi um pouco em baixo do chuveiro, e a outra parte que havia ficado em minha boca, me lambuzei, olhando pra ele.

 

Depois disso, a gente ficou sem se falar… Foi um silêncio total, até que voltamos a conversar e a brincar. Lembro que eu tinha um cachorro chamado Pigo, e o pigo adorava ficar pulando em cima de mim. Nunca das ocasiões, ele se meteu na brincadeira e acabamos roçando um no outro. Ele ficou excitado na hora e sem vergonha alguma sacou o pau pra fora me convidando a mamá-lo. Dessa vez ele não gozou rápido, o chupei por uns 20 minutos. Deixei o pauzão dele muito bem lambuzado e até tentei sentar na rola dele, mas não conseguia dar. A partir daí, quase todo dia o chupava e não tinha remorso ou constrangimento algum quando minha mãe chegava.

 

Um mês depois, ele me entra no meu quarto, enquanto eu estava deitado e deita em cima de mim. Ele baixou meu short e minha cueca (enquanto eu fingia dormir ou não me importar) e derramou um líquido gelado no meu cu. Era uma espécie de KY que ele tinha comprado. Ele estava obcecado em comer meu cu e assim foi a minha primeira vez – eu tentei fingir estar dormindo o tempo todo, mas abria o cuzinho na medida em que ele forçava o pau pra entrar, aos poucos fui relaxando e uns 10 minutos depois, a rola dele estava toda enterrada no meu cu. Foi delicioso sentir todo aquele pauzão no meu cu. Mas o melhor estava por vir – ele esperou eu relaxar e começou a socar a piroca no meu cu. Eu estava de bruços e me sentia todo rasgado, todo ardido, mordia a fronha e sussurrava baixinho, dava uns gemidos de putinha, meio como se estivesse sonhando ou dormindo. Lembro perfeitamente da sensação que foi sentir ele gozando no meu cu. Foi sem camisinha a minha primeira vez e o leite escorreu farto pelo meu rabo. Infelizmente sujei um pouco ele, mas ele só parou de socar depois de ter gozado e não se importou com o imprevisto (eu fiquei muito envergonhado). Depois que ele saiu do meu quarto após ter gozado, eu fiquei no quarto por quase meia hora (chorei um pouco, porque ai bateu remorso e constrangimento), mas queria fingir que eu estava dormindo o tempo todo. Fui pro banheiro tomar um banho e percebi que meu cu estava sangrando – eu quase que entrei em desespero! Quando eu voltei pro meu quarto, ele estava lá, tinha trocado a roupa de cama e colocado a antiga pra lavar. Pediu pra eu sentr ao lado dele e disse que gostava muito de mim, mas me disse que eu não podia falar o que havia acontecido pra ninguém, que era o nosso segredo… eu me fingi de santo e de bobo e obviamente concordei.

 

Depois disso viramos bons amigos e passamos a transar praticamente todos os dias, mas na medida que minha relação com ele ficava tão gostosa, a dele com minha mãe ficava péssima. Com isso, mais ou menos dois anos depois do início de nossas brincadeiras, passei a me distanciar dele (pois peguei ódio do jeito que ele tratava minha mãe, vez em quando até batia nela). Um tempo depois eles se separaram e ele saiu de casa olhando fixamente nos meus olhos, como se quisesse dizer algo. A gente já se viu diversas vezes depois que eles se separaram, principalmente quando ele ia pegar o meu irmão em casa pra sair. Mas nunca mais tivemos intimidade.

 

Hoje ele está casado com outra mulher e já teve mais um filho. Resolvi mandar esse relato após vê-lo semana passada. Ele virou evangélico, estava vestido com roupa social e entregando panfletos numa praça aqui de BH. Não vou negar que veio na minha cabeça todas aquelas incríveis fodas que tivemos! Ele estava ainda mais atraente com aquela roupa e aquele ar sério, mas é isso. Espero que gostem de ter lido o meu relato. Um abraço!

DITADURA G
O SEU YOUTUBE GAY

Assista Também: XXX Gay - Vídeos Gays - Sexo Gay

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *